quinta-feira, 25 de abril de 2013

As síndromes do assédio


A importância da saúde

Dizer que a saúde é algo importante soa como redundância. Seria óbvio, não fosse a nossa negligência com ela, fruto da atarefada vida urbana. Desta forma ficamos potencialmente vulneráveis e de portas abertas às doenças.

Inúmeros são os fatores que vão minando nossas defesas naturais, desde a vida sedentária, horários desregrados, má alimentação, fumo e, evidentemente, o stress.

Por outro lado, uma dieta equilibrada, exercícios físicos, consumo de álcool em doses mínimas, abandono do fumo, sono adequado produzem uma mente saudável que manifestam emoções harmônicas e estáveis.

As doenças do assédio moral

Que o assédio moral adoece é fato consumado nos diversos meios que enfrentam tal violência. Aliás, desenvolver tais doenças psíquicas passa a ser prerrogativa para se determinar a configuração e grau de lesão de tal fenômeno nos meio jurídico.

Além das doenças de ordem emocional, a vítima pode desenvolver outras de caráter somáticos ou até mesmo agravar as pré-existentes. Basta deduzir que uma pessoa debaixo do efeito do stress enfraquece seu sistema imunológico.

Doente, o trabalhador passa, então, a frequentar os bancos de prontos socorros e hospitais e consequentemente falta ao trabalho o que é visto como absenteísmo pelas organizações passando, então, a ser discriminado e agravado o processo de tais doenças. O oposto também ocorre, ou seja, o presenteísmo, quando, por medo de perder o emprego, ou ser passado para trás, o trabalhador(a) permanece em estado deplorável trabalhando e piorando sua situação.

Síndromes do assédio

Diz a Constituição brasileira que a empresa tem função social e que todos tem direito ao trabalho digno não podendo sofrer discriminação de qualquer ordem. A carta magna, lei maior e irradiadora de todos os outros ramos do direito protege o trabalhador(a) dos abusos que o adoecem e o tornam improdutivo. Seus princípios norteiam e estruturam o Direito do Trabalho, mas isso não significa que estruturas corrompidas e infestadas de transgressores a cumprirão de bom grado.

Humilhando, perseguindo, discriminando, etc. buscam destruir, primeiro emocionalmente os seus alvos, desestabilizando-os e desequilibrando-os que adoecidos facilitaram a segunda etapa que é a sua exclusão dos quadros da empresa pelos mais diversos motivos.

Nesta condição, surgem doenças como depressões, síndromes de todo tipo como as ansiolíticas, do pânico, Burnout que como fantasmas assombram e aterrorizam a vida da pessoa tornando-a vulnerável aos covardes agressores.

Quebrando o ciclo

Resistir é uma necessidade. Se defender, uma prerrogativa. E é nessa hora que emerge a importância de se manter um corpo e mente fortalecidos e capazes de fazer frente à adversidade.

Não é fácil manter o equilíbrio emocional debaixo de uma saraivada de ataques onde se fica exposto ao grupo que estigmatiza e abandona pelo medo reverencial à figura de autoridade e pelo evidente espírito de gado que apresentam que os impedem de identificar a perversão em andamento.

É nessas horas que a figura do mito se levanta e hipnotiza a todos deixando-os em estado de catarse e em condições de manipulação. Portanto, é um tipo de energia escura e densa capaz de produzir inúmeras destruições caso não se esteja blindado.

Quebrar o ciclo é uma forma de resistência. Ao invés de ceder o que se faz é se fortalecer e permanecer íntegro além de não esmorecer. A perseverança o manterá em pé, aconteça o que acontecer.

Um momento de decisão

Pensando nisso, decidi praticar minhas próprias palavras e colocar a teoria à prova. Trabalho em turno ininterrupto de revezamento, o que por si só, causa inúmeros transtornos a minha saúde.

Como engordei muito comecei apresentar um quadro preocupante de aumento de colesterol e triglicérides chegando ao ponto de apresentar gordura no fígado que sobrecarregado poderia desenvolver a cirrose, mesmo que eu não seja alcoólatra.

Com as artérias sendo obstruídas pelas placas de gordura o perigo de desenvolver doenças cardíacas estava batendo à porta. Soma-se a isso os constantes importunamentos decorrentes do assédio me tornei uma bomba relógio ambulante.

Como desenvolvi quadro depressivo anteriormente a porcentagem de ocorrer novamente, segundo estudos, é de 50% o que não estou nem um pouco afim.

Decidi, então, romper este ciclo maldito e comecei a fazer uma dieta: a da sopa- do hospital do coração. Super restritiva e com promessa de emagrecimento rápido, logo me empolguei.

No primeiro dia, não senti muito o baque. No segundo, tive uma intensa dor abdominal decorrente do processamento das fibras, mas não desisti e assim, sucessivamente, durante 3 semanas cumpri as determinações contidas no cardápio e o resultado foi sensacional, apesar do sacrifício. Emagreci 10kg. E isso, sem atividade física.

O melhor de tudo foi que pude perceber uma qualidade em mim que me deixou feliz: a disciplina. Faça a dieta e verá o quanto ela é difícil, isso se não desistir. Força e determinação surgiram em meio ao desânimo e evidente falta de energia.

A sequência agora é incorporar a atividade física e pra isso ganhei de minha esposa uma bike. Como a dieta não pode ser feita ininterruptamente, quando voltar, associarei a ela as pedaladas rumo aos próximos 10kg e melhor qualidade de vida me fortalecendo contra as ações dos bandidos de colarinho branco.

Processo global

A saúde é um elemento que compõe um todo. Ela é orgânica, psicológica, mental, emocional e até espiritual. Se mente vazia é oficina do diabo, oxigenar a alma não permitirá o acesso, ou a manifestação de nossos demônios interiores. Daí porque, sair da zona dos ambientes negativos e se ocupar de projetos e sonhos que revitalizem nossas vidas.

Com isso, fortaleceremos nossa auto estima, que é o alvo dos agressores e os impediremos de tomá-la de assalto frustrando seus planos sórdidos. Quem vislumbra perspectivas não se atemoriza e com planejamento adequado abre novas e melhores portas deixando o que é imundo ser levado descarga abaixo.

Redoma de proteção

Portanto, se faz necessário, e, urgente, cuidarmos daquilo que é um bem precioso: nossa vida. Se deixar adoecer por causa de um maldito atormentado é um erro que eu não cometerei duas vezes e que ninguém deveria cometer. Daí, a importância de se fazer um sacrifício e mudar alguns hábitos danosos em busca de uma vida mais saudável que nos blindará e será uma barreira a mais contra o assédio moral.
Raniery


raniery.monteiro@gmail.com