terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Devoradores de energia


Conheça o objetivo do agressor:

Toda agressão moral tem a intenção de devastar emocionalmente sua vítima levando- a ao descontrole e à  desestabilização. Este tipo de ser antisocial age como um vampiro de energia. Ao esgotar sua vítima, ele fortalece seu sadismo e se estabiliza internamente.  Ele precisa drenar a vida emocional de alguém pra elevar a sua: é assim que ele age e existe.

Seus ataques provocam todo tipo de dano- desde o psicológico, passando pelo físico e até mesmo espiritual. Depressões, ansiedades, stresses estão entre os sintomas mais comuns. Dores de cabeça, gastrites, obesidade, alcoolismo e até cânceres afligem o corpo dos assediados. Agora, se você puder perceber o estrago que os ataques psíquicos fazem na vida espiritual, entenderá que isso se ocorre por meio de emoções negativas que controlam a vítima: raiva, ódio, rancor, mágoa, desejo de vingança etc.

Não resta dúvida que é um tipo de violência das mais cruéis e sérias que precisa ser coibida, com toda medida útil que se requer, principalmente as jurídicas (nos casos de assédio moral/ sexual), para não permitir que a sensação de impunidade reforce seus comportamentos anômalos.


O campo de energia humano e o predatismo psíquico:

Os seres humanos possuem um campo de força energético natural que muitos dão o nome de aura. Se estivermos em equilíbrio e saudáveis,  isso significará que possuiremos uma barreira de proteção invisível (é possível vê- La com treino) que funcionará como uma pele de proteção para nosso mundo interior.

Quando o agressor elenca uma vítima, passa a minar esse campo protetor disparando “mísseis” para que criem uma abertura. Uma vez aberta a porta de entrada, será permitido que a criatura emita “tentáculos” drenadores, que sugarão sua energia vital, debilitando a pessoa  dia a dia, que esmorecerá até não resistir mais. Ela passará a alimentar o parasita psíquico.

Por isso, estar atento a qualquer manifestação de predatismo humano é importante pra se antecipar a um ataque, o que nem sempre é possível. A vida urbana é um intenso corre- corre e não damos a atenção devida ao nosso mundo interior, e, quando menos esperamos, estamos envoltos por estas criaturas vis.

Há inúmeros meios de se blindar contra essas energias negativas: meditação, oração, religião, ou seja, qualquer mecanismo que te fortaleça por dentro e permita que você enfrente situações adversas de modo assertivo.


Não se intimide: atrapalhe os planos do inimigo

Isso mesmo! Não caia na armadilha do desestabilizador. Não faça o que ele quer.

O primeiro passo é conhecer a estratégia do agressor: humilhação, ofensas, isolamento etc.

O segundo é exatamente não permitir que ele atinja seu objetivo, que é te deixar inseguro e manipulável.

Lembre- se: o que o agressor mais quer é roubar a tua alegria de viver. Lembro- me de uma colega de trabalho cuja característica era  estar sempre sorrindo, até o dia que conseguiram arrancar isso dela. conversamos a respeito e foi então que ela se deu conta do que acontecera.

A agressão psicológica tem um objetivo e uma intenção definida: destruir a vítima por dentro. Uma vez rompida a muralha, o controle é uma consequência natural que aparecerá através da insegurança, medo ou ansiedade.
Portanto, conhecer a intenção do agressor e anulá- lo através de mecanismos assertivos é o meio mais eficiente de lidar com a situação. Eficiência não quer dizer facilidade. Ter controle emocional diante de tais ataques é um dos comportamentos mais difíceis de manifestar.
Porém, vale ressaltar que o agressor conta com essas reações de medo pra subjugar a pessoa alvo de sua perversidade.
Todo comportamento é aprendido, inclusive o de lidar com parasitas sociais; vale a pena parar e refletir sobre a questão.


Raniery
raniery.monteiro@gmail.com