segunda-feira, 22 de julho de 2013

Farisaicos

Dizemos que hipócritas são aqueles que simulam comportamentos ético/morais aparentando possuir princípios aceitos socialmente dissimulando seu verdadeiro caráter e intenções. Tais pessoas, por exemplo, são capazes de denunciar alguém por realizar alguma ação reprovável que praticam as escondidas.

O hipócrita acredita que os valores aceitos socialmente não se aplicam a ele e a partir desse pensamento é capaz de racionalizar atos de crueldade ou perversidade sem dor na consciência numa atitude típica daqueles que procuram levar vantagem passando por cima de tudo e de todos. 

Ao mimetizar a virtuosidade, o mau caráter lhe confere o status devido enquanto finge ser igual aquele que pretende lesar ou atacar. Tal dualidade manifesta um padrão contraditório/conflitante no instante que impõe um conjunto de regras para um grupo diferente do de outro, ou pior, do deles mesmos.

A hipocrisia se esconde por trás de máscaras de aparências onde se cria personagens que se adaptam ao meio que se pretende obter alguma vantagem qualquer.

Racionalizar é a atividade paralela para aqueles que se utilizam do artifício da falsidade para prejudicar outros, nem tanto pra eles, muito mais para angariar apoio. A consciência cobra um preço alto de quem a viola e é necessário criar justificativas para o que se faz burlando tais incômodos. Quantas vezes temos que conviver com pessoas que são uma coisa em casa e outra diante das pessoas. Isso, sem falar nos pregadores com suas verdades absolutas desde que obedeçam suas conveniências.

Mas, tem uma coisa que o hipócrita não aceita muito bem: o confronto. Para ele ser desmascarado não é algo tolerável, pois depende daquela personagem que criou e que vive no imaginário das pessoas pra atingir seus objetivos. Só que não dá para enganar a todos por tempo indeterminado, pois a inconsistência e a contradição uma hora aparece. Nessa hora a verdadeira pessoa surge e normalmente de forma violenta e agressiva.

Pessoas assim, nunca são culpadas de nada, ou melhor, não assumem suas culpas, mas costumam projetá-las sobre os outros, lhes imputando as conseqüências, sobretudo se estão frustraram suas intenções ou expectativas. É bom lembrar que pessoas hipócritas são, antes de tudo, hábeis manipuladoras e passam de pessoa em pessoa disseminando o seu veneno. Em um dia aquela colega se virou contra ela, no outro foi fulano que pega no seu pé, hoje, é ciclano que aprontou alguma e dessa forma vai culpabilizando todos, quando no entanto, o tempo todo era ela a causadora dos problemas.

Ora, se alguém adota a hipocrisia como forma de estilo de vida não tardará a assediar alguém psicologicamente. Se para ele pessoas são meios para se atingir fins quando não forem mais necessárias serão descartadas. Se, por algum motivo atrapalharem suas intenções ou estiverem em seu caminho, a guerra será declarada.

Preste atenção a uma pessoa manipuladora. Quando não se cai no seu jogo ela despeja toda a sua frustração em ataques de fúria desproporcional. E razoabilidade não é um comportamento que um assediador aprecia, aliás, não se pode esquecer que se trata com alguém que relativiza seus atos em relação aos seus objetivos.

É por essas e outras que a vítima quando se vê diante dos ataques de um assediador, inicialmente fica confusa e não entende porque aquilo tudo está acontecendo, pois se pergunta o que teria feito de tão mal para merecer tal tratamento. Não se pode esquecer que sempre há uma intenção por trás de um comportamento. Ninguém age à toa, sem motivação. Eu sempre me pergunto quando alguém age desproporcionalmente diante de algum conflito o que justificaria tal contradição. Com certeza tem mais coisas por trás que não está sendo revelado.

O assédio moral é o lar das intenções veladas e dissimuladas. O assediado não é atacado por que é mal, mas porque deverá ser mal, porque o agressor assim o quer. Precisa ser mal, para que se justifique os ataques; principalmente diante de terceiros. Daí se deflagrarem processos acusatórios e desconstrutores que estigmatizarão e pulverizarão qualquer auto estima ainda intacta.

O hipócrita assediador precisa anular qualquer qualidade que seu alvo possua. Ele exigirá um sem números de posturas e condutas que serão adiante reprovadas propositalmente. A pessoa fica atônita, pois não fez nada de errado a ponto de justificar tal reação agressiva que se materializa em insultos depreciativos e agressões verbais de todo tipo. 

Para o agressor é preciso destruir qualquer imagem positiva que sua vítima possua. Não pode haver qualidade nela, não se pode elogiá-la, ninguém poderá ser sua amiga pois, deve ser isolada de todos. Qualquer um que gostar dessa pessoa evoca a fúria do agressor.

Mas, estamos lidando com um hipócrita, não podemos esquecer. O que ele faz, na realidade é projetar sobre o outro tudo aquilo que as escondidas faz. Tudo aquilo que coloca de jugo sobre o outro para que seja censurado é praticado sem que saibam, evidentemente. É preciso manter uma aparência e aura de santo para atrair a simpatia de todos.

A hipocrisia é uma entre tantas características dos assediadores que permite que passem despercebidos entre as pessoas que sentirão dificuldades em acreditar quem eles são na realidade. 

Portanto, o velho ditado “quem vê cara, não vê coração” cabe perfeitamente nesses casos, pois não é fácil identificar pessoas assim que escondem suas verdadeiras naturezas com aparência angelical. 

E nesse caso, qualquer um poderia ser um assediador, até a mais popular das pessoas.
Raniery

raniery.monteiro@gmail.com