segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O temor dos assediadores



Segundo Heinz Leymann, um dos maiores especialistas em assédio moral, o comportamento do agressor obedece quase sempre ao propósito dele de encobrir ou camuflar suas próprias deficiências.


O medo ou a insegurança que experimentam em relação as suas próprias carreiras, sua própria reputação ou sua posição na organização impele-os a atacar outras pessoas.
Esse medo, essa insegurança são habitualmente determinados pela própria consciência de mediocridade que é posta em evidência, muito amiúde de maneira inconsciente, pela conduta profissional, ética, e respeitosa da pessoa que vem a ser selecionada como alvo.

Os sentimentos de inadequação apresentados pelos assediadores usualmente procedem, de múltiplas fontes possíveis: psicopatias, paranóia, transtornos narcisistas..., tendo, porém um mesmo efeito sobre o comportamento: a compulsão por fazer desaparecer do ambiente à volta do assediador ou assediadores aqueles estímulos que desencadeiam neles sentimentos patológicos de ameaça, vale dizer, a eliminação da vítima.

Autor: Iñaki Piñuel y Zabala
Edições Loyola

Eu mesmo vi isso ocorrer diante de meus olhos, quando um grupo decidiu destruir a vida de um colega, de uma forma que somente mentes frias e perversas poderiam fazer utilizando-se do próprio sistema da empresa e de dispositivos legais para tal.
Enquanto "cavavam a cova" do rapaz, se faziam de inocentes diante do grupo e no momento em que foram desmascarados declararam que foram obrigados a testemunhar contra ele, ou seja, covardia das piores.
Não contentes, ainda resolveram me atacar, criando uma mentira em minha ficha funcional alegando que eu os ameaçara.

Lembro- me muito bem que estive no RH para solicitar uma cópia do regimento disciplinar da empresa, o que me foi negado pela gerente do setor, fora os insultos e humilhações que a mesma me fez passar, e ainda tive que ir ao “inquisidor” (o funcionário que toma os termos do inquérito para gerar a punição forjada), pois teria dois inquéritos sobre mim e que eu seria punido; o detalhe é que eu estava afastado por motivo de doença profissional causada pelo assédio moral que passo.
O dito “inquisidor” disse-me que, se eu estava louco (referência à depressão) para Trabalhar, também o estaria para testemunhar a favor do colega. Perceba você que eu estava doente, e mesmo assim, de forma fria e cruel me tratavam como coisa qualquer e isso ocorre até hoje e não somente comigo.

Parece-me que desejam mesmo minha eliminação a qualquer custo, só que a coisa perdeu o controle e eles começaram a atacar várias pessoas na empresa e, eu me pergunto como fariam para demitir tanta gente sem chamar a atenção ao seu próprio comportamento criminoso?

O medo que toma conta de suas mentes malévolas desenvolve requintes de crueldade; o que ocorre é que, como são hábeis manipuladores, dissimulam suas ações, muitas vezes utilizando de desinformação seletiva através de boatos.

A única coisa que não suportam é a visibilidade, principalmente diante da lei, o que é lógico, já que são transgressores de regras sociais e criminosos por essência. Por isso, da importância de denunciar tais práticas desumanas.

Portanto, é preciso saber como funciona essas mentes perigosas para poder se defender.



Raniery