quinta-feira, 14 de abril de 2011

O verme passeia, na lua cheia.


Todos os dias um verme se levanta e rasteja por este planeta tentando devorar tudo o que vê pela frente.

O verme de que estou falando chama- se assediador moral; é uma praga. Toda praga precisa ser contida senão destruirá tudo.

Em empresas públicas eles infestam as repartições disseminando fraude, corrupção, e toda sorte de ilícitos que se possa imaginar, usando o poder público em prol de seus benefícios e interesses.

 São responsáveis, entre outras coisas, por impedir que concursos públicos sejam realizados, já que negociam com empresas sujas iguais a eles pra poderem contratar terceirizados, que em alguns casos, são seus próprios parentes, configurando aí o nepotismo. Perceba, então, que até quem pensa em ter uma carreira no emprego público, sem saber também é prejudicado já que não são abertos concursos e essas vagas são ocupadas pelos "apadrinhados" e não por aqueles que possuem o mérito para tal. 

Quando não tem jeito e os concursos são realizados, aqueles que se qualificam tornam- se alvos potenciais deste tipo de imundície humana. O objetivo do agressor? Forçar a vítima a pedir demissão ou demití- La por justa causa, e, desta forma, liberar uma vaga para algum contratado envolvido em seus esquemas.

A covardia desses cafajestes não tem limites e são capazes de qualquer coisa pra conseguirem o que querem. A partir da desestabilização da vítima, passam a configurar um perfil, sobre ela, de incompetente, desqualificado ou indisciplinado; contam pra isso, com aqueles que seduzem para auxiliá- los nessa tarefa, e, sendo assim, não só a vítima fica isolada, como também passa a ser agredida por aqueles que, até então, eram colegas de trabalho, numa estratégia nefasta de destruição moral da pessoa alvo.

São capazes de inventarem até crimes imputados à pessoa; se essa não for cautelosa o suficiente para perceber a armação, é destruída facilmente. É a chamada “casa de caboclo” na gíria popular.

Mas, preste atenção a um detalhe importante nessa engrenagem: as vítimas preferidas são aquelas que desconhecem as leis; as “inocentes”; e, também, as negligentes. Ora, se uma pessoa desconhece quais são seus direitos e deveres, e, se o agressor puder mantê- La na ignorância, todo o trabalho de destruição ficará muito mais fácil.

Por isso, antes de qualquer coisa, ao invés de cair em pânico porque alguém decidiu te atacar no trabalho, passe a pesquisar sobre os seus direitos, e também, seus deveres.

Foi isolado e não há um único ser humano descente que se disponibilize a testemunhar a seu favor? Não tem problema:hoje o judiciário aceita gravações como provas, desde que feitas de forma lícita, obviamente.

Pesquise e estude tudo o que puder encontrar sobre assédio moral, já que hoje sobra literatura sobre o assunto. Enfim, reaja de forma inteligente e não se deixe conduzir pelo agressor até chegar a um ponto em que ele já te devorou, e, só você não sabe ainda.

O mundo do faz de conta acabou; precisamos entender que existem pessoas malévolas e mal intencionadas dispostas a destruir os sonhos e objetivos de seu próximo, sem o menor constrangimento.

Portanto, reaja de forma pró ativa e não fique esperando que se levantem contra você para começar a entender como essas coisas acontecem, ainda mais, em uma sociedade competitiva como a nossa.


Raniery
raniery.monteiro@gmail.com
@mentesalertas