quarta-feira, 28 de março de 2012

Raízes podres

Lendo uma matéria sobre plantas exóticas e suas estratégias de sobrevivência chamou-me a atenção, uma em especial- a Flor-cadáver.

Essa flor tem como característica mimetizar o cheiro de peixe podre e corpos em decomposição, o que atrai hordas de moscas, besouros e baratas, os ditos bichos escrotos.

O cheiro podre, então, passa a ser uma espécie de arma de sedução da planta pra atrair polinizadores que serão usados por ela em seu objetivo maior: reproduzir.

Fascinados e cegos pelos seus próprios desejos e instintos, os insetos caem na armadilha hipnotizados pela oportunidade de farto alimento de fácil acesso; pelo menos é o que eles pensam, ou melhor, o que a planta os faz pensar.

De forma análoga podemos enxergar aí um paralelo interessante nos dramas diários da vida. Perversos ou antissociais adotam semelhante estratégia pra conseguir o que querem de pessoas manipuláveis. Produzem nas mentes capturadas a falsa sensação de que conseguirão conquistar uma grande oportunidade, daquelas que realmente é difícil de acreditar ou boas demais pra ser verdade.

Primeiro atraem e fascinam os insetos, quer dizer, pessoas subvernientes e com problemas de baixo estima ou amor próprio que rastejarão aos seus pés e serão seus objetos de uso descartável.

Depois, Atraídos por uma idéia de levar vantagem com essa aliança, acabam, na realidade, se tornando meros fantoches de manipulação que serão descartados tão logo tornem-se desnecessários ou apareça outra pessoa/objeto melhor.

O fato é que os " homens cadáver" da vida utilizarão de tais recursos com todo aquele que tiver em seu raio de ação e se deixe seduzir por falsas promessas ou pseudo visões de benefícios futuros. No começo, até parece que isso ocorrerá, mas à medida que há o aprofundamento da interação, enterra- se cada vez mais em um abismo sem fim, cujo resultado não será necessariamente o esperado, ou pior, resultará em transtornos e violações de direitos.

É interessante notar que o que atrai determinados insetos, é justamente o cheiro de podre. Da mesma forma há pessoas que sentem-se atraídas pelo ilícito e flertam com o perigo e acabam se envolvendo com toda sorte de crimes, fraudes e falcatruas- os chamados "esquemas".

Tal vulnerabilidade será explorada por um insidioso que saberá muito bem como tomar partido dessa falha de caráter usando-a contra o ingênuo inseto humano- pois é assim que são vistos pelos perversos.

Uma vez emulado e enredado, passa- se para o processo de desintegração da personalidade da pessoa que, a esta altura, não tem mais como sair das garras constritoras e pútreas do bastardo sem alma.

Qualquer tentativa de desvinculamento será prontamente  rechaçada  através de um bombardeio de chantagem e culpabilidade. O processo se dá pelo fato de, a esta altura do campeonato, a pessoa se encontrar nas mãos do chantagista que a lembrará de que é tão suja quanto ele pelo que fizeram de forma cúmplice. Nesse momento a pessoa passa a ser posse do miserável.

A boa notícia é que o "enlaçado", em determinado momento, tomará um chute no traseiro, mas não sem antes ter sido maculado de alguma forma.

Vejo isso ocorrer todos os dias sem que as pessoas aprendam a lição, o que me faz pensar se elas não possuem a mesma complexidade do sistema neural dos insetos, mas me convenço do contrário, já que até as baratas aprendem.

A ironia é que eu vi isso ocorrer justamente com quem foi o pivô de todo processo de assédio moral por que passo. O cidadão simplesmente foi descartado por seu "mentor" como se fosse esterco de porco. "Pintou", "bordou", ancorado pela falsa sensação de segurança que experimentou, pra depois cair em desgraça entre a maioria dos colegas de trabalho, ainda mais sendo o responsável pela demissão por justa causa de um outro colega, só ficando com ele àqueles que, igualmente, alimentam- se de merda como as moscas.

Essa flor me mostrou como processos de enredamento e sedução para o mal, funcionam na prática; além de conseguir entender também, o perigo que é se deixar fascinar por oportunidades virtuais sem substância real. A verdade é que uma vez que se entre no mundo de pessoas perversas ou convide- as a entrar em nossas vidas, sair não será nada fácil e o preço 
cobrado será caro.

O mestre já nos advertia a mais de dois mil anos atrás: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia. Assim também 
vós exteriormente
pareceis justos aos homens, mas interiormente estais 
cheios de hipocrisia 
e de iniqüidade” 
(Mt 23.27-28).



Raniery
raniery.monteiro@gmail.com