segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Lógica, paradoxo ou... Motivo?

Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é "o oposto do que alguém pensa ser a verdade".


Em "O universo de Stephen Hawking", é discutida a questão da viagem no tempo ao passado como sendo algo impossível por conta dos paradoxos que o universo acaba criando. O mais conhecido é o paradoxo do avô. O que aconteceria se alguém voltasse ao passado e matasse o próprio avô antes que tivesse filhos? Nesse caso, o viajante não poderia ter nascido nem voltado no tempo para matar o avô.


Muitas vezes nos deparamos com situações que nos parecem verdadeiros paradoxos, sem lógica alguma.

 

Você está em sua empresa trabalhando e começa a ouvir o boato de que determinado colega está sendo perseguido pelo chefe. Só que ele tinha uma relação aparentemente tranquila com tal pessoa, afinal fazia parte da equipe, era o braço direito do camarada e agora... Isso!

 

Você não entende, não tem lógica, então conclui: algo aconteceu! E deduz - o que o colega fez para o chefe para ter merecido isso?

 

A psicóloga Marina Parés Soliva afirma que por traz de uma situação de assédio moral pode se esconder uma fraude, um ilícito, corrupção etc.

Marie france Hirigoyen aponta para um comportamento perverso. Mas as duas deixam claro que é o comportamento transgressor do assediador a razão ou o motivo para tal perseguição. É evidente que o funcionário poderia ser um indisciplinado, mas, e quando seu histórico não demonstra isso? E se ele passa a agir assim, então a empresa deveria aplicar os dispositivos disciplinares que possui, e a perseguição não é um deles.


Imagine você, que alguém na empresa está com algum “esquema” em curso e um subordinado seu começa a atrapalhar, descobre por acaso ou não quer participar. Você acharia razoável pensar que essa pessoa se tornaria uma ameaça ao fraudador? E se assim o for, não seria um motivo plausível para ser atacada, desmoralizada e descartada, do ponto de vista do criminoso? Seria isso um motivo?


Sabemos que em várias empresas há, por exemplo, supervisores que são autorizados a  contratar terceiros, e lucram com isso para aprovar determinadas pessoas ou empresas prestadoras de serviços sem o conhecimento da empresa em que trabalham. Esquemas de corrupção, ilícitos e fraudes em empresas públicas acontecem todos os dias.

 

Portanto, o que parece ser um paradoxo, que não compreendemos, pode estar escondendo alguma sujeira, e que a vítima está, de alguma forma, atrapalhando.

 

E se essa pessoa vier a ser você?



Raniery